caedjus.com

04 Passos para Elaborar um Projeto de Pesquisa Arrasador

Começar a construir um projeto de pesquisa requer mais do que o conhecimento do assunto a ser estudado.

Inclui também criatividade, sensibilidade social, humildade para realizar contínuas correções, curiosidade e também paciência. 


Desenvolver um olhar científico é fundamental para a elaboração do projeto de pesquisa, que para muitos (as) acadêmicos (as) é a parte mais desafiadora do processo seletivo para se ingressar no Mestrado e no Doutorado.

É comum que os Programas de Pós-graduação stricto sensu (por exemplo, mestrados e doutorados) incluam no edital diferentes etapas para a seleção de novos alunos (as) como prova de proficiência em línguas, prova escrita sobre conteúdo previamente disponibilizado, carta de intenção, projeto de pesquisa, entrevista e também a avaliação do currículo do candidato (a). 

A questão é que o projeto de pesquisa tem um peso importante no certame, o que requer do candidato (a) esforço, perseverança, disciplina durante o processo de seleção.

Para saber mais sobre outros temas e fases do processo seletivo de Mestrado e Doutorado leia também:

Cada fase do processo seletivo para o Mestrado e Doutorado tem como objetivo selecionar candidatos que possuam o maior número de qualificações e habilidades científicas para integrar o Programa, e uma das formas de avaliar o potencial de um futuro pesquisador (a) é através da qualidade do seu projeto de pesquisa.

A análise do projeto de pesquisa é a oportunidade para que você apresente de forma coerente e atrativa seu objeto de estudo e surpreenda a banca. 

Este é um dos momentos em que você precisa ser arrasador, demonstrando pertinência temática e inovação, aguçando a curiosidade acadêmica dos avaliadores, e demonstrando a capacidade da sua pesquisa de atrair futuros financiamentos.

 A questão é que muitos acadêmicos (as) cometem erros básicos por não compreenderem o ciclo do conhecimento científico, o que pode levá-los (as) a apresentar um projeto de pesquisa que não tenha base científica, por vezes ocasionando a desclassificação do mesmo na primeira leitura avaliativa. 

Outra situação é que nem sempre um tema interessante se apresenta como um problema de pesquisa, o que pode desclassificar o candidato (a). 

Outro equívoco clássico é fugir das orientações prescritas no edital do processo seletivo de Mestrado e Doutorado, o que pode ser mais um motivo de eliminação.

Alguns exemplos de erros que podem desclassificar um candidato são:

  • A falta de base teórica (o que acaba caindo no famoso achismo, ou seja, “eu acho que”);
  • A não citação de fontes e autoria (que pode vir a ser interpretado como plágio);
  • A ausência de uma situação-problema (a banca não conseguir visualizar qual o problema da pesquisa);
  • A falta de alinhamento entre os objetivos da pesquisa e o seu procedimento metodológico, 
  • Apresentar trabalhos “mais do mesmo” (pois carecem de criatividade).

 Muitos (as) também se sentem inseguros na elaboração deste tipo de produção e acabam terceirizando a atividade, por vezes sem resultado satisfatório, o que também acaba inibindo toda a riqueza de um processo construtivo e educativo.

Para enfrentar as principais questões na hora de elaborar um projeto de pesquisa, você vai aprender como planejar a sua pesquisa, determinar os objetivos e construir a justificativa de forma coerente e instigante para ter sucesso no certame.

A intenção é que você construa um projeto de pesquisa pertinente ao seu objetivo e também que atraia a atenção da banca com uma declaração de interesse de pesquisa bem fundamentada cientificamente.

Mas como planejar uma pesquisa e construir objetivos e uma justificativa pertinente em um projeto de pesquisa?

O que é um projeto de pesquisa?

De forma geral, um projeto de pesquisa se configura como uma declaração de interesse de pesquisa com foco em uma área e linha de pesquisa. 

É a partir do projeto que o problema é delimitado, que as ideias são organizadas e as questões a serem estudadas passam por certa sistematização.

A pesquisa se apresenta como um processo crítico e reflexivo com objetivo de buscar respostas para problemas ainda não resolvidos. O projeto de pesquisa possui alguns requisitos básicos que fazem parte de um processo sistematizado e que é compreendido dentro das seguintes etapas:

  1. Escolha do tema (delimitação de uma área de estudo dentro de um assunto);
  2. Revisão de Literatura (o que já foi escrito sobre o tema?);
  3. Definição do tema e título da pesquisa (a partir de uma delimitação da área escolhida para estudo, dentro de um recorte que pode ser temporal, geográfico, social, por exemplo);
  4. Justificativa (definição do que se pretende estudar, relevância do tema e sua relação com a linha de pesquisa pretendida;
  5. Definição do problema de pesquisa (problematização do tema e definição do problema que a pesquisa pretende responder, com a construção de hipótese(s) ou pressuposto(s) definidos a partir do problema identificado);
  6. Determinação dos objetivos gerais e específicos;
  7. Seleção dos autores básicos que fundamentarão a base teórica;
  8. Escolha da abordagem e procedimentos metodológicos;
  9. Indicação de um cronograma de atividades da pesquisa (que inclua a delimitação temporal para a coleta de dados, análise e discussão dos resultados e redação do trabalho científico).

A questão é que não basta organizar um futuro tema de pesquisa dentro dos requisitos básicos gerais sem que se faça uma reflexão sobre o que uma pesquisa científica requer, como:

  • Flexibilidade, 
  • Capacidade de observação, 
  • Interação com os sujeitos pesquisados (quando for o caso), 
  • Consciência de que seus instrumentos de pesquisa devem ser corrigidos e adaptados durante toda a trajetória investigativa.

Neste artigo, vou apresentar alguns passos para que você aprenda a planejar a sua pesquisa, e também definir os objetivos e a justificativa de um projeto de pesquisa que te ajude a:

  1. Ser reconhecido como um candidato (a) que tem um projeto de pesquisa atrativo;
  2. Evidenciar suas qualidades de escrita e argumentação acadêmicas;
  3. Aumentar radicalmente as chances de causar uma boa impressão em bancas de seleção de mestrado/doutorado;
  4. Aumentar muito as chances de ser aprovado em processos de seleção de bolsas de pesquisa, projetos e eventos acadêmicos como o CAED-Jus;
  5. Aumentar bastante as chances de conseguir um financiamento para a sua pesquisa.

Se você entende que a qualidade de escrita do seu projeto de pesquisa pode ser o diferencial em sua avaliação no processo seletivo de Mestrado e Doutorado, mas não sabe como otimizá-la, então esta é a chance de você aprender a elaborar um projeto de pesquisa relevante, pertinente e expressivo academicamente!

QUAIS INFORMAÇÕES BÁSICAS EU PRECISO SABER PARA PLANEJAR UMA PESQUISA?

Primeiramente, você precisa compreender que a pesquisa é um processo de construção de conhecimento que acontece a partir de exigências científicas, sendo necessário obedecer a alguns critérios como: coerência, originalidade e consistência. 

O caminho para o planejamento de uma pesquisa começa com a elaboração de uma pergunta que se deseja encontrar uma resposta, a definição dos passos para se alcançar a resposta e a indicação do nível de confiabilidade do resultado obtido.

Podemos organizar o planejamento de uma pesquisa em três fases:

  • Fase decisória: está relacionada ao período de escolha do tema, e também da definição e delimitação do problema de pesquisa;
  • Fase construtiva: refere-se ao momento de construção do projeto de pesquisa e também da execução da mesma;
  • Fase redacional: período destinado à análise das informações e dados obtidos na fase construtiva, com intuito de sistematizar as ideias para a construção de um relatório de pesquisa.

Dentro da etapa construtiva, vamos focar nossa atenção em dois tópicos básicos que constituem um projeto de pesquisa: a determinação dos objetivos e a justificativa

04 PASSOS PARA ELABORAR UM PROJETO DE PESQUISA ARRASADOR 

Aprender a pesquisar faz parte de um processo criativo que envolve desenvolver habilidades de pensar e olhar cientificamente. 

Como já foi dito, trata-se de uma investigação que carece de planejamento e desenvolvimento a partir de um conjunto de etapas próprias, chamada metodologia científica.

O que significa então realizar uma pesquisa com rigor científico? 

Pressupõe a escolha de um tema, a definição de uma problemática, a construção de um projeto de pesquisa e sua execução, e por fim, a elaboração de um relatório final ordenado e conclusivo.

Os Programas de Pós-graduação estão em busca de candidatos (as) que se destaquem na elaboração de um projeto de pesquisa para além do rigor das regras metodológicas, mas que sejam criativos (as), indagadores (as) e instigantes!

Para isso, vamos te ajudar a construir um projeto de pesquisa “fora da caixa”, que seja além de coerente, criativo e atrativo.

 É o que você precisa? 

Então, preste bastante atenção neste passo a passo.

# PASSO 01: ESCOLHA UM TEMA ATUAL E RELEVANTE

Escolher um tema de pesquisa pode ser um grande problema para alguns acadêmicos(as), por isso é importante que você saiba por onde começar. Portanto, responda a seguinte pergunta: 

O que pretendo pesquisar?

 O seu tema deve estar relacionado a uma área de interesse de um assunto que você pretenda aprofundar, e de preferência ser um tema relevante e atual academicamente (ou seja, que o seu Programa de Mestrado e Doutorado tenha interesse em pesquisar e pesquisadores dispostos a te orientar). 

É também um processo de delimitação de uma temática dentro de um assunto, restringindo o escopo do estudo, que após um processo de problematização vai chegar a uma situação-problema.

Algumas informações importantes que podem te ajudar na escolha de um tema de pesquisa:

  1. A escolha do tema pode surgir a partir de uma experiência profissional, observação do cotidiano, em contato com pesquisadores, durante o estudo de determinado tema, por exemplo (por isso, aproveite suas múltiplas leituras – de mundo e da escrita – para a definição de um tema pertinente);
  2. Além de atual e relevante, o seu tema de pesquisa precisa estar relacionado à linha de pesquisa pretendida ou aos estudos do possível orientador (não adianta ter um tema maravilhoso se não houver encaixe em alguma linha de pesquisa ou interesse de algum pesquisador, por isso faça sempre uma pesquisa sobre as linhas de pesquisa do Programa de Mestrado e Doutorado que pretende concorrer);
  3. Não adiante ter um tema se você não o transformar em uma situação-problema. Leia mais: https://www.caedjus.com/dicas-para-formular-um-problema-de-pesquisa-excelente/ (o problema é o ponto de partida da pesquisa, é a partir dos questionamentos sobre um tema que ainda demanda discussão, que o pesquisador vai construindo e também se apropriando do objeto de pesquisa);
  4. Em geral, a escolha do problema de pesquisa passa pelo foco da relevância e oportunidade (no primeiro caso diz respeito à possibilidade de contribuir com a construção de novos conhecimentos na área de estudo, e no segundo caso diz respeito às maiores chances de se conseguir financiamento para a pesquisa).

É importante chegar a um problema de pesquisa que tenha dimensão viável, clareza e precisão para que as outras etapas sejam bem fundamentadas. 

Este é o momento crucial para você refletir se o que quer estudar é mesmo um problema e se vale a pena buscar uma solução para ele. 

# PASSO 02: SELECIONE PERGUNTAS PERTINENTES

Após a escolha do tema, o processo de problematização vai levar a formulação de perguntas que podem ser agregadas de forma criativa como diretrizes da pesquisa.

Das perguntas que surgirem, quais levar adiante? 

Segue mais uma listinha para te ajudar a selecionar seu problema-pergunta:

  1. O problema deve ser claro e preciso (faça o recorte do seu objeto);
  2. O problema deve ser respondível (seus termos devem ser definidos de forma adequada, por isso, evite ambiguidades);
  3. O problema deve ser suscetível de solução (você possui os meios adequados para buscar a solução da sua situação-problema?);
  4. O problema deve ser delimitado a uma dimensão viável (é possível realizar a pesquisa com os instrumentos e tempo que você possui?)

Se você exercitar o uso destas perguntas durante seu processo de construção do projeto de pesquisa a aprendizagem sobre a reflexão e escrita acadêmica vai se tornando mais fluida e seu tempo para produção de textos vai diminuir, aumentando assim a sua produtividade acadêmica.

# PASSO 03: FAÇA UMA JUSTIFICATIVA CONVINCENTE

Muitos(as) acadêmicos(as) erram na hora de redigir uma justificativa porque muitas vezes se limitam a elencar os motivos pessoais para a escolha do tema. 

É possível sim que você inclua uma justificativa pessoal (como a continuidade de um estudo realizado na graduação, por ser um assunto que envolve sua atuação profissional, por exemplo). O fundamental é que apareça neste tópico qual a relevância científica do seu tema dentro do seu campo de estudos.

Que informações, então, devem aparecer na sua justificativa? Anote aí:

Qual a importância científica/acadêmica do seu tema? (você precisa demonstrar a relevância da sua temática no seu campo de pesquisa, expor sobre a sua importância e/ou a existência de lacunas no estudo, ou seja, é o momento de mostrar que você sabe do que está falando);

  • Quais os pontos positivos da sua abordagem? (o que você percebeu que ninguém ainda estudou ou que não pode ser estudado por meio de outras teorias ou métodos? É uma lacuna? Uma atualização? Uma nova aplicação de uma teoria em outro contexto? É o estudo de um tema tradicional a partir do olhar de novos sujeitos? Este o momento de “vender o seu peixe” e mostrar toda a sua curiosidade e criatividade na abordagem do tema, se diferenciando dos estudos de outros pesquisadores);
  • Quais as vantagens/benefícios que sua pesquisa pode proporcionar? Além de novos conhecimentos, a sua pesquisa possui impactos sociais? (você pode acrescentar possíveis impactos sociais advindos do desenvolvimento da sua pesquisa, então aproveite para redigir bem este tópico);

A justificativa é o espaço que você utiliza para convencer os avaliadores da importância da sua futura pesquisa. Então gaste tempo refletindo e estudando sobre a diferenciação da sua abordagem de outras, quais possíveis novos conhecimentos advindos da investigação e seus impactos sociais.

# PASSO 04: DETERMINE OBJETIVOS COERENTES

Este é o momento de se pensar em qual sua intenção ao iniciar a pesquisa. Estamos falando de um enunciado de pesquisa que expressa de maneira breve a intenção do pesquisador em relação a investigação que será iniciada. 

É importante que os objetivos sejam coerentes com a justificativa e a situação-problema que foram propostos. A síntese do que se quer alcançar será o seu objetivo geral, e o detalhamento do mesmo tornando-o operacional será chamado de objetivos específicos.

Quer uma ajuda para construir seus objetivos?

  1. Explique de forma genérica o objetivo a ser alcançado (você pode iniciar dizendo “o objetivo ou propósito da pesquisa é…”, lembre-se de começar com verbos no infinitivo, e que sejam passíveis de mensuração como analisar, investigar, conhecer, compreender, etc.);
  2. Detalhe o objetivo geral demonstrando o que pretende realizar na pesquisa (aqui é o momento de enumerar o que precisa fazer para que o objetivo geral seja alcançado; cuidado com o número de objetivos específicos, não se esqueça que precisa dar conta da pesquisa dentro de um cronograma previamente estabelecido);
  3. Para não errar, observe estes exemplos de grupos de verbos que indicam um estágio cognitivo de determinação (traçar, ilustrar, interpretar, aplicar, demonstrar); avaliação (escolher, avaliar, selecionar, julgar); análise (classificar, debater, diferenciar, analisar, investigar); compreensão (explicar, identificar, transcrever, esclarecer, descrever); conhecimento (definir, arrolar, registrar, nomear); síntese (reunir, coordenar, esquematizar, compor, articular).

Lembre-se que os objetivos devem informar “o porquê” da realização da pesquisa e quais os possíveis resultados ou contribuições o estudo pode efetivamente proporcionar.

Estamos falando de um projeto de pesquisa que vai ser alterado durante a sua trajetória acadêmica a partir das suas novas leituras e orientações, mas que vai ajudar muito para que você apresente de forma coerente e atrativa seu objeto de estudo e surpreenda a banca.

Ah! Mas não se esqueça desta listinha do que não fazer

  1. Fundamentar seu projeto de pesquisa em achismo (utilize sempre referenciais bibliográficos durante a escrita do material);
  2. Esquecer de revisar o texto (não encaminhe o texto sem uma boa revisão de português);
  3. Incluir pensamentos de outros autores sem realizar devidamente a citação da fonte e autoria no texto (seja ético e não cometa plágio, o famoso “copiar e colar”.)

Se você exercitar o pensar científico durante a construção do seu projeto de pesquisa, a aprendizagem sobre a reflexão e escrita acadêmica vai se tornando mais fluida e seu tempo para produção de textos vai diminuir, aumentando assim a sua produtividade acadêmica.

PROJETO DE PESQUISA E PRODUTIVIDADE

Espero que tenha aproveitando essas lições, pois não se encontra facilmente por aí.

A questão é que aprender a construir um projeto de pesquisa atrativo vai te ajudar muito no processo seletivo dos diversos Mestrados e Doutorados, mas também de outras atividades, como na busca de financiamentos para sua pesquisa, projetos e eventos acadêmicos. 

Além disso, não é apenas o seu projeto de pesquisa que será avaliado, mas sua trajetória acadêmica, por isso não esqueça de investir nas publicações.

Por exemplo, aprender a pensar cientificamente vai te auxiliar a construir e publicar outros textos acadêmicos e isso conta muito na avaliação da sua trajetória acadêmica, antes, durante e depois do seu ingresso em um Programa de Mestrado e Doutorado, aumentando seu prestígio e reconhecimento. 

Por isso, investir na participação em grupos de pesquisa, livros e coletâneas é um fator que conta muito na sua produtividade acadêmica. 

Então não perca tempo, utilize essas lições para organizar melhor suas leituras acadêmicas e aproveite para aumentar sua produtividade e as chances de ingressar na tão sonhada vaga de Mestrado e Doutorado!

São exemplos de produções acadêmicas bastante valorizadas:

  1. Membership em associações nacionais e internacionais
  2. Artigos em revistas
  3. Livros
  4. Capítulos de livros
  5. Apresentação de trabalho em evento
  6. Artigos de opinião em veículos de comunicação

Não perca mais tempo. Agora é o momento de colocar essas lições em prática. Organize suas leituras e use essas estratégias para aumentar a qualidade de seus textos, as chances de aceitação dos mesmos e sua produtividade, isso abrirá portas para você.

QUER SABER COMO COMEÇAR A PRODUZIR AGORA?

Sem dúvidas os eventos do Conselho Internacional de Altos Estudos em Direito (CAED-Jus) podem auxiliar a sua produção acadêmica agora mesmo.

Os eventos do CAED-Jus podem contribuir pelo menos com o seguinte:

  1. Membership em associação internacional
  2. Apresentação de trabalho em evento
  3. Participação em evento
  4. Publicação de trabalho como capítulo de livro impresso
  5. Oportunidade para pós-graduandos atuarem como Coordenadores de GT/ organizadores de livros.

Você pode acessar o site do CAED-Jus em www.caedjus.com/eventos e se inscrever no próximo evento programado com um artigo de sua autoria. Aproveite esta oportunidade!

ALGUMA RECOMENDAÇÃO DE LIVRO?

Separei alguns livros que podem ajudar no processo de escrita da sua carta de intenção.

Como elaborar projeto de pesquisa – Antônio Carlos Gil

A arte de pesquisar: Mirian Goldenberg

Gostou deste artigo? Comente e compartilhe nas suas redes sociais.

Sobre a autora:

Danielle de Araújo, Consultora em Educação e Gestão Social, Criadora do Blog Escrita Acadêmica Sem Mistério, Doutoranda e Mestra em Estado e Sociedade na UFSB, Especialista em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos na ENSP/FIOCRUZ, Advogada formada pela PUC/RJ. Membro da Comissão de Diversidade e enfrentamento à intolerância da OAB Subseção Eunápolis – BA. Membra do Grupo de Pesquisa Paidéia – Laboratório de pesquisa transdisciplinar sobre metodologias integrativas para a educação e gestão social. Professora da Faculdade Nossa Senhora de Lourdes e Pitágoras. 

Posted in

CAED-Jus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.