caedjus.com

09 erros em entrevistas de seleção para mestrado e doutorado

Você passou para a fase de entrevista na seleção de mestrado ou doutorado, e agora?

O momento no qual você, candidato, se senta na cadeira para a entrevista de seleção para o mestrado e doutorado consegue ser mais estressante do que a Prova Escrita. Por mais seguro que você esteja, por mais que saiba os detalhes do seu projeto de pesquisa, por mais articulado que você seja quanto a falar em público, estar na frente de avaliadores e examinadores extremamente qualificados é estar na corda bamba a todo tempo!

Por todos esses fatores, é muito comum que fiquemos nervosos, que passemos momentos constrangedores e que surjam algumas saias justas. É comum, é normal, é até mesmo aceitável que isso aconteça! Ninguém estará preparado para todos os momentos da vida.

Mas é bom sabermos o que comumente pode dar errado nas entrevistas de seleção para mestrado e doutorado. Falhas e vacilos que podem ser cometidos, mas você estará mais livre deles se ler o post até o final. Hoje vamos falar de 09 erros em entrevistas de seleção para mestrado e doutorado e, ao fim da leitura, nenhum deles será cometido novamente!

CONSIDERAÇÕES INICIAIS: SOBRE O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO

Mãos suadas, boca seca, tremedeira e taquicardia são sintomas comuns de quem está prestes a falar em público. Uma entrevista de seleção para mestrado e doutorado nada mais é do que uma fala em público e, por isso, estamos sujeitos aos mesmos sintomas.

Você não é o único que passa por isso: todos passamos. Por mais preparados e acostumados que estejamos, qualquer fala em público causa um pouco de tensão. Assim, não se puna por estar ansioso ou por ficar apreensivo com a possibilidade de errar em uma entrevista, pois é algo normal. Aceitar que você não é invulnerável ao medo de falar em público é o primeiro passo para a superação. Aceite seus limites e lide com eles.

O que você pode fazer?

1) Conheça o local onde vai ocorrer a entrevista: chegue algum tempo antes e circule pelo local, sente-se em uma das cadeiras e leia algum livro, ouça música ou simplesmente relaxe;

2) Conheça os ouvintes, avaliadores ou outros candidatos: observe as pessoas que vão chegar, escute suas conversas e o modo como eles falam. Quanto aos professores avaliadores, tente escutá-los um pouco e pesquisar os seus currículos. Se possível, também pesquise sobre os trabalhos dos professores que estarão em sua banca, pois assim vocês poderão ter um lugar-comum de fala na entrevista;

3) Não revise seus materiais de entrevista: se você já fez isso anteriormente, já está preparado. Revisar minutos antes da entrevista gerará um nível de ansiedade que você não precisa;

4) Esvazie a mente antes de começar: não é só retórica. Manter a mente tranquila é essencial para um bom aproveitamento em uma entrevista. Nós temos nossas cabeças cheias de concepções e problemas que não irão nos ajudar nesse momento do processo seletivo, então você deve esvaziar a sua mente. Como fazer isso?;

5) Sente-se em um canto mais isolado para refletir e meditar;

6) Respire profundamente repetidas vezes;

7) Não tente expulsar os pensamentos: deixe que eles venham e vão na mesma velocidade. Só deixe a mente relaxar.

Só com essas dicas você já ampliaria bastante o potencial de sucesso na entrevista de seleção. Agora falaremos do outro lado, ou seja, mesmo seguindo essas dicas, quais os 08 erros em entrevistas de seleção para mestrado e doutorado que você não pode cometer.

08 ERROS EM ENTREVISTAS DE SELEÇÃO PARA MESTRADO E DOUTORADO

#ERRO 01 – Comportamento divergente ao da banca!

Tenha a habilidade de perceber o espírito da banca. Eles podem estar cansados, podem estar mal-humorados e isso pode afetar diretamente a sua avaliação. Não faça piadas nem apresente humores estranhos a um ambiente de entrevistas.

Quais precauções você pode tomar para saber como se comportar?

– Consulte os outros entrevistados assim que saem da entrevista: busque sondar as informações sobre os humores da banca no momento e já saiba o que fazer;

– Evite qualquer tema polêmico, salvo se souber que a banca o aceita: a não ser que seja um tema do seu trabalho, política, religião e qualquer outro tema que cause comoção deve ser evitado;

– Não estimule confrontos, sobretudo com professores vaidosos: diga que analisará todas as críticas e sempre agradeça. Mesmo que você esteja mais convicto sobre um determinado tema, sempre deixe a última palavra para o membro da banca. Resolva as pendências de pesquisa quando já for mestrando ou doutorando.

# ERRO 02 – Falhas com relação ao projeto!

Parte essencial do processo seletivo, alguns cuidados devem ser tomados com relação ao projeto de dissertação ou tese para a entrevista:

– Intransigência com relação ao projeto: por mais firme e racionalmente ordenado que esteja o seu projeto, você deve estar aberto a eventuais mudanças sugeridas pelos avaliadores, até mesmo para que a pesquisa assuma contornos mais próximos ao Programa e ao Orientador. Não aceitar qualquer mudança diminuirá suas chances de ingresso;

– Falta de domínio do projeto: este é um dos erros mais imperdoáveis ao pretenso pesquisador. Conheça seu problema de pesquisa, sua hipótese, seus objetivos, sua metodologia, os meandros dos seus referenciais teóricos, etc. Você deve conhecer sobre o que pretende trabalhar e dar as informações necessárias sobre o tema.

# ERRO 03 – Não treinar a apresentação do projeto!

Como já falamos, os momentos do processo seletivo para ingresso no mestrado e do doutorado geram altas doses de ansiedade. Da mesma maneira, existem alguns mecanismos que você pode utilizar para contornar esses sentimentos e o treino da apresentação é um desses.

Como fazer?

1) Elabore um roteiro para nortear a apresentação: ele vai servir como uma âncora para que você saiba que tem algo no que se segurar;

2) Faça treinos constantes usando o mesmo roteiro: preferencialmente, use o mesmo material impresso. Usar sempre o mesmo elemento criará familiaridade de conteúdo e visual e, em algum momento, só de olhar a posição de tópicos e letras, será claro o caminho narrativo a seguir na apresentação do projeto;

3) Confie em seu roteiro: pois ele reúne tudo o que você precisa, já que você é o redator do projeto e elaborou o roteiro.

 

# ERRO 04 – Falta de clareza, eloquência e boa retórica!

Falar em público é complicado, mas não há outro meio em uma entrevista: será necessário o debate. E não só falar, mas fazer isso de modo a fornecer todas as informações que os membros da Banca querem. Uma ótimo recurso para auxiliar nesta fala é o seu roteiro da dica anterior. Para não cometer esse erro, você deve:

1) Intercalar as falas com respirações: exercícios de respiração são essenciais para a ativação dos sistemas fisiológicos responsáveis pelo relaxamento. Quando um momento de incerteza ou ansiedade surgir, respire profundamente por três vezes, de cabeça baixa. Após fazer isso, volte os olhos ao roteiro e continue de onde parou;

2) Articule bem as palavras: fale com a boca bem aberta, deixando que o som flua. Não tente formular longas frases quando estiver muito ansioso ou com vergonha, pois as palavras serão cortadas por lábios e dentes apertados;

3) Fale devagar: Falas rápidas só gerarão mais ansiedade, pois você ficará nervoso aos ver as expressões de incompreensão dos membros da Banca quando você começar a atropelar as palavras. Quando começar a falar rápido demais, volte ao subitem 01 deste tópico.  

# ERRO 05 – Desatenção ao português!

Mais uma vez, esta é uma dica constante em boa parte dos nossos posts e que é sempre importante reiterar: a correção da língua não deve ser somente no texto escrito, mas no seu discurso. Preste muita atenção no que fala e como fala:

1) Não use gírias ou expressões destoantes do meio acadêmico: a entrevista é um momento solene;

2) Evite expressões que tenham outra conotação no meio da pesquisa: isso pode dar a impressão de amadorismo aos membros da Banca, algo que queremos evitar;

3) Utilize os termos dispostos no roteiro de apresentação: por isso é tão importante o treino a partir de um só material, pois este estará revisado e de acordo com o meio acadêmico. Sua memória visual trará as palavras e dará a segurança ao seu discurso.

 

# ERRO 06 – Não responder o que foi perguntado!

Do mesmo modo que a dica anterior, temos que nos certificar deste aviso. Não tente “mostrar serviço” e entregar mais do que o pedido ou o esperado, pois você pode se perder no caminho.

Se limite a apresentar o projeto nos moldes em que falamos e somente responda o que lhe for perguntado. O poder de síntese é algo valorizado.

# ERRO 07 – Trajes inadequados para a entrevista!

Vivemos em uma sociedade de aparência onde roupas importam subjetivamente e inconscientemente. Sendo assim, você deve ter cuidado com relação ao que for vestir para o momento da entrevista e alguns passos podem ser obedecidos:

1) Caso conheça o programa e os membros da banca: rememore o estilo de vestimenta dos membros da Banca, como os professores se vestem, se a universidade está inserida em um contexto específico de idade ou círculo social, etc. Assim, terá um padrão de vestimenta a ser adotado;

2) Caso não conheça o programa e os membros da banca: escolha o básico: barba feita (para quem tem barba), camisa sem temas polêmicos, roupas sóbrias, etc.

# ERRO 08 – Não conhecer o básico do Programa!

Você não precisa conhecer os meandros do Programa de Pós-Graduação que escolher, mas deve conhecer o básico como a área de concentração, linhas de pesquisa e, mais importante do que tudo, fazer a relação dessas informações com o seu projeto e seus objetivos acadêmicos.

É inaceitável não saber o que responder quando o examinador perguntar “Por que escolheu esta linha de pesquisa?” ou “O que nós, enquanto pesquisadores, temos a colaborar com seu trabalho?”. É dar aos membros da banca a certeza do amadorismo!

# ERRO 09 – Não ser sincero!

Contornar este erro é o maior trunfo que você pode ter, pois o coração aberto faz com que boa parte dos problemas se resolvam.

Por mais que você realmente esteja perdido na entrevista, mas tem a vontade sincera de aprender, deixe isso claro. Respeite e saiba seus limites.

Não gere expectativas que naquele momento não possa cumprir com os examinadores e seu futuro orientador, mas, ao mesmo tempo, se disponibilize como alguém que poderá supri-las no futuro.

COMO NÓS PODEMOS AJUDAR AINDA MAIS?

Esperamos que tenham aproveitado os 08 erros em entrevistas de seleção para mestrado e doutorado. Tê-los em mente é o primeiro passo para a sua aprovação.

Mas nossas possibilidades de auxílio não param por aqui. Nossa parceria vai continuar, pois o Conselho Internacional de Altos Estudos em Direito (CAED-Jus) disponibiliza dicas e inovações para otimizar seu hoje, torná-lo realmente produtivo, possibilitando que o passado e o futuro, nossos constantes objetos de angústia, fiquem no lugar onde devem ficar para que possamos focar no que interessa. É aqui também que você vai publicar os seus trabalhos acadêmicos!

O CAED-Jus, com seus eventos, atividades e conteúdos variados, pode lhe auxiliar na otimização dos seus estudos de mestrado e doutorado para poder compatibilizá-los com seu trabalho.

Os eventos do CAED-Jus podem contribuir pelo menos com o seguinte:

  1. Membership em associação internacional
  2. Apresentação de trabalho em evento
  3. Participação em evento
  4. Publicação de trabalho como capítulo de livro impresso

Você pode acessar o site do CAED-Jus em www.caedjus.com e se inscrever no próximo evento programado com um artigo de sua autoria. Aproveite esta oportunidade!

ALGUMA RECOMENDAÇÃO DE LIVRO?

Separamos para você dois livros que podem ajudar na sua trajetória acadêmica.

Confira:

Como fazer entrevistas de seleção – Penny Hackett

Essa vaga é sua! 101 perguntas mais frequentes e como respondê-las corretamente – Reinaldo de Souza

A propósito, você seguiu essas dicas que falamos e deu certo? Compartilhe conosco! Nos avise pelo email [email protected] e vamos conversar…

Sobre os autores:

Felipe Asensi

Diretor do Instituto Diálogo, Pós-Doutor em Direito pela UERJ, Doutor em Sociologia pelo IESP/UERJ,Mestre em Sociologia pelo IUPERJ,Advogado formado pela UFF, Cientista Social formado pela UERJ, Membro Efetivo do IAB e da Academia Luso-Brasileira de Ciências Jurídicas, Senior Member da Inter-American Bar Association (IABA), Professor da UERJ, UCP, USU e AMBRA College, Autor de 34 livros.

Diego Monnerat

Mestrado em Direito pelo PPGD/UCP como Bolsista CAPES, na linha de pesquisa Fundamentos da Justiça e dos Direitos Humanos/Área de Concentração: Justiça, Processo e Direitos humanos. Graduado em Direito pela Universidade Candido Mendes-Nova Friburgo. Extensão em Direito Médico pela EMERJ. Professor tutor da Universidade Unyleya. Advogado (OAB/RN). Foi membro da Comissão de Saúde da Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção de Mossoró/RN.

______________________________________________________________________________________________________________________________

Imagens: Created by Ijeab – Freepik.com
Posted in

CAED-Jus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.