caedjus.com

05 dicas para você impressionar o seu orientador e torná-lo um parceiro acadêmico

Você tem um orientador e gostaria de impressioná-lo? Então este artigo é para você!

Muitos alunos de mestrado e doutorado ficam receosos em como lidar com seus orientadores. Afinal, o orientador costuma ser uma pessoa ocupada, com mil responsabilidades, com diversos afazeres acadêmicos e você está vinculado a ele pelo menos durante algum tempo.

A orientação não precisa ser uma relação fria, estanque e com prazo final. A orientação pode ser uma oportunidade de parceria de longo prazo e de construção de uma mútua admiração. E aí surge a dúvida sobre como impressionar o orientador e torná-lo o seu parceiro acadêmico.

Neste artigo, eu vou apresentar a você 05 dicas para você impressionar o seu orientador, essa pessoa importante e complexa da sua vida acadêmica. São dicas que eu compartilho com você porque já fui aluno e há alguns anos sou orientador de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Confesso: esse é um dos temas mais delicados!

 

ORIENTADORES E SUAS COMPLEXIDADES

Para iniciar o nosso assunto, é importante você levar em consideração três premissas sobre o processo de orientação:

 

O QUE É A ORIENTAÇÃO?

A orientação é um processo formativo focado na interação entre o orientador e o aluno com a finalidade de produção de conhecimento científico, rigoroso e de qualidade a partir da mútua aprendizagem e troca de ideias, críticas e perspectivas.

 

COMO É A VIDA DE UM ORIENTADOR?

A vida de um orientador não é fácil. São muitos compromissos acadêmicos e profissionais que fazem com que a orientação, em geral, seja uma das atividades às quais ele deve se dedicar.

Em geral, o orientador divide o seu tempo de orientação com as seguintes atividades:

  1. Redação de artigos
  2. Redação de livros
  3. Participação em eventos
  4. Participação em bancas
  5. Networking acadêmico
  6. Preparação de aulas
  7. Aulas
  8. Compromissos burocráticos
  9. Atualização de currículo
  10. Produção de materiais diversos

Em meio a tudo isso, tem você!

 

O QUE O ORIENTADOR ESPERA DE UM ALUNO?

O orientador tem expectativas em relação ao aluno, especialmente em nível de mestrado e doutorado.

Mas você não é um peso! Um orientador de verdade deve se preocupar com o processo de orientação e em dar o seu melhor.

Em geral, o que os orientadores esperam dos seus alunos é o seguinte:

  1. Proatividade
  2. Integração no grupo de pesquisa do orientador
  3. Cumprimento de metas e acordos
  4. Cumprimento de prazos
  5. Espírito colaborativo
  6. Leitura
  7. Novos insights
  8. Produtividade de textos
  9. Apresentação de trabalhos em eventos

Por isso, você tem diversas oportunidades de “corresponder às expectativas” do seu orientador.

 

O QUE UM ALUNO ESPERA DE UM ORIENTADOR?

Não podemos ignorar também o que o aluno espera do orientador. Às vezes, o orientador encontra-se absorvido por outras demandas e frustra as expectativas dos seus alunos, o que não é nada bom.

A orientação é uma via de mão dupla, então ambos têm expectativas importantes que devem ser correspondidas.

Em geral, o que os alunos esperam dos seus orientadores é o seguinte:

  1. Disponibilidade de tempo
  2. Celeridade nos feedbacks
  3. Críticas construtivas e didáticas
  4. Abertura à integração dos alunos em seus projetos
  5. Diálogo
  6. Compreensão
  7. Oportunidades

Como vemos, em geral as expectativas do orientador são diferentes dos alunos e, como qualquer relação humana, isso pode trazer desafios no dia-a-dia.

Por isso, as minhas 05 dicas vão contribuir com a sua vida acadêmica e certamente lhe ajudarão a impressionar o seu orientador e torná-lo um parceiro acadêmico.

 

DICAS PARA IMPRESSIONAR O SEU ORIENTADOR

Chegamos nas dicas!

Orientadores de verdade sabem que o processo formativo também é para identificar novos parceiros acadêmicos, novas formas de pensar e produzir, e você pode ser uma opção interessante de parceria.

Quando os orientadores ficam impressionados com os alunos, isso aumenta bastante a possibilidade de se converterem em parceiros de longa data. Digo isso por experiência própria…

Confira as minhas dicas e comece hoje a colocá-las em prática:

 

# DICA 01 – Seja totalmente proativo

A postura proativa é essencial para qualquer relação humana que objetiva resultados.

Na orientação, é bastante importante que você adote esta postura em todas as suas ações. Em geral, o orientador tem tantos cronogramas diferentes a cumprir que ele não tem “de cabeça” o cronograma de cada aluno, então não aguarde ele pedir ou cobrar para você fazer a sua parte.

São exemplos de posturas proativas que você pode adotar:

  1. Antecipe-se a solicitações
  2. Antecipe soluções a possíveis problemas
  3. Agende encontros de orientação para cada parte da etapa de planejamento e produção do conhecimento, desde que elas tenham sido concluídas
  4. Compartilhe oportunidades acadêmicas com o seu orientador
  5. Crie mecanismos de “overdeliver”, ou seja, entregue além do que seria esperado/combinado
  6. Compartilhe apreensões e inquietações em relação à execução futura das etapas
  7. Averigue a forma desejada de envio das etapas (email, impresso, whatsapp, etc)

 

# DICA 02 – Integre-se com o seu orientador

Orientadores costumam ter menos tempo que o necessário. Compatibilizar todas as responsabilidades e ainda desenvolver pesquisas e projetos não é tarefa nada fácil.

Por isso, no geral é muito bem-vinda a participação dos alunos nas pesquisas e projetos em curso. São mais “mãos” e “cabeças” que podem agregar às iniciativas e, até mesmo, liderar ações.

E aqui vai um relato pessoal: quando eu ainda era bolsista de iniciação científica no LAPPIS/UERJ isso foi uma das coisas mais importantes da minha trajetória acadêmica e profissional. Até hoje, 15 anos depois de colocar meus pés pela primeira vez lá, tenho o privilégio de ser o Coordenador Adjunto.

Seguem algumas estratégias que você pode adotar para se integrar cada vez mais com o seu orientador:

  1. Comente que tomou conhecimento de iniciativas interessantes lideradas pelo orientador
  2. Ofereça ajuda concretamente
  3. Traga ideias e insights
  4. Pense em soluções que podem ajudar
  5. Apresente-se como uma pessoa que quer ser integrada aos projetos e pesquisas
  6. Divulgue as iniciativas do seu orientador
  7. Consolide a sua imagem como parceiro

 

# DICA 03 – Produza

É absolutamente esperado que você produza e este assunto é bem delicado!

Por exemplo, considere as três perspectivas abaixo:

 

– 1ª perspectiva: você foi aprovado para um programa de mestrado e doutorado e, dentre as expectativas, é que você contribua produzindo.  É importante para você e para o programa que você faça isso, pois o programa também é avaliado pela produção dos alunos.

– 2ª perspectiva: você foi aprovado para ocupar uma das poucas vagas do seu orientador e, dentre as expectativas, é que vocês trabalhem conjunto e produzam em conjunto. É importante para você e para o programa que você faça isso, pois o programa também é avaliado pela produção dos alunos em parceria com orientadores.

– 3ª perspectiva: você foi aprovado como mestre ou doutor após alguns anos de interação e trabalho conjunto com o seu orientador e, dentre as expectativas, é que vocês permaneçam juntos publicando os resultados da pesquisa. É importante para você e para o programa que você faça isso, pois o programa também é avaliado pela produção dos alunos egressos em parceria com orientadores.

 

Portanto, passar o mestrado/doutorado inteiro sem produzir é uma péssima ideia e frustra as expectativas do programa e do orientador. O mesmo se aplica a defender a sua dissertação ou tese e ignorar a contribuição do orientador (quando foi um orientador de verdade).

Em geral, para as três perspectivas que relatei, você pode adotar as seguintes estratégias para aumentar a sua produtividade em parceria com o seu orientador:

  1. Deixe finalizados seus textos para eventuais oportunidades futuras
  2. Aproveite os trabalhos de disciplinas
  3. Assine veículos de comunicação que divulgam oportunidades
  4. Siga redes sociais que divulgam oportunidades
  5. Organize eventos acadêmicos
  6. Fortaleça o seu networking acadêmico
  7. Inscreva-se como parecerista de revistas
  8. Identifique chamadas e editais
  9. Submeta seus textos a revistas
  10. Participe de eventos acadêmicos importantes
  11. Publique!

 

# DICA 04 – Missão combinada é missão cumprida

Missão combinada é importante. É um gesto de confiança!

Fiz questão de dizer que a missão é combinada, e não dada ou atribuída. A relação entre aluno e orientador, como o próprio nome diz, é uma relação. Portanto, para a construção da confiança, é essencial que tudo seja dialogado e pactuado em conjunto.

Uma vez pactuado, envide todos os seus esforços para que se realize. Isso vai contribuir para uma imagem de eficiência.

É óbvio que às vezes surgem imprevistos e obstáculos à missão que atrapalham o seu cumprimento. Daí a importância da transparência, que conversaremos na próxima dica.

 

# DICA 05 – Seja transparente

É compreensível que não possamos estar 100% integrados ou focados no mestrado ou doutorado em função das demais responsabilidades que assumimos em nossas vidas.

É compreensível que em algum momento estejamos absorvidos por diversas tarefas profissionais e pessoais que atrapalhem o cumprimento de alguma etapa específica no prazo esperado.

É compreensível que cometamos algum erro ou equívoco porque ainda estamos em processo formativo e faz parte deste processo o aprendizado com o erro.

Para tudo isso basta você ser transparente. Ninguém pode ser criticado por ser honesto, sincero e aberto. Esta pode ser uma oportunidade que reforçar ainda mais a sua imagem perante o orientador como uma pessoa correta!

 

COMO COMEÇAR A IMPRESSIONAR AGORA?

Tenho uma sugestão!

Participe dos eventos do Conselho Internacional de Altos Estudos em Direito (CAED-Jus) e convide o seu orientador.

Os eventos do CAED-Jus podem contribuir pelo menos com o seguinte:

  1. Membership em associação internacional
  2. Apresentação de trabalho em evento
  3. Participação em evento
  4. Publicação de trabalho como capítulo de livro impresso
  5. Coordenação de GT (a depender da sua titulação e do orientador)

Você pode acessar o site do CAED-Jus em www.caedjus.com/eventos e se inscrever no próximo evento programado com um artigo. Aproveite esta oportunidade!

 

ALGUMA RECOMENDAÇÃO DE LIVRO?

Separei para você três livros que podem ajudar nesta relação com o orientador. Confira:

Como se faz uma tese – Umberto Eco

Como não fazer uma tese – Clóvis Ultramari

Orientadores em foco. O processo da orientação de teses e dissertações em educação – Cleiton de Oliveira

 

A propósito, você seguiu essas dicas que falei e deu certo? Compartilhe conosco! Nos avise pelo email [email protected] e vamos conversar…

 

Gostou deste artigo? Comente e compartilhe em suas redes sociais.

Sobre o autor:

Felipe Asensi

Diretor do Instituto Diálogo, Pós-Doutor em Direito pela UERJ, Doutor em Sociologia pelo IESP/UERJ,Mestre em Sociologia pelo IUPERJ,Advogado formado pela UFF, Cientista Social formado pela UERJ, Membro Efetivo do IAB e da Academia Luso-Brasileira de Ciências Jurídicas, Senior Member da Inter-American Bar Association (IABA), Professor da UERJ, UCP, USU e AMBRA College, Autor de 34 livros.

 

 

______________________________________________________________________________________________________________________________

Para mais informações sobre o CAED-Jus e se cadastrar para novidades, visite o site www.caedjus.com

Posted in

CAED-Jus

2 comentários em “05 dicas para você impressionar o seu orientador e torná-lo um parceiro acadêmico”

  1. Pingback: 05 filmes inspiradores para a sua carreira acadêmica - CAED-Jus

  2. Pingback: 05 conselhos para a valorização do seu Currículo Lattes - CAED-Jus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.