caedjus.com

Entrevista com Ana Cristina Alves de Paula – Coordenadora de GT do CAED-Jus 2021

A entrevistada desta vez é Ana Cristina Alves de Paula

Ana Cristina Alves de Paula é Doutoranda em Direito pela Unesp (campus de Franca/SP), sob orientação do Prof. Dr. Daniel Damásio Borges. Mestre em Direito (2018) pela Unesp (campus de Franca/SP). Especialista em Direito Tributário (2018) pela PUC Minas (polo de Uberlândia/MG). Bacharel em Direito (2016) pela Unesp (campus de Franca/SP). Atualmente, possui ênfase nas áreas de Direito Previdenciário, Direito Internacional Público e Direito e Literatura.

É professora Tutora da Pós-Graduação em Direito Previdenciário (06 e 12 meses) no Damásio Educacional. Professora Bolsista do curso de Graduação em Direito da Unesp (campus de Franca/SP). Autora do livro “Incapacidade laboral e aposentadoria: reconhecimento biopsicossocial para afastamento por invalidez e auxílio-doença” (Cultura Acadêmica). É também Coordenadora do GT Trabalho e Seguridade Social do CAED-Jus 2021.

Confira a entrevista:

1) Você foi selecionado(a) para coordenar um dos Grupos de Trabalho do CAED-Jus. Nos conte um pouco como foi a sua trajetória acadêmica até esta seleção.

Entre 2011 e 2015, cursei a Graduação em Direito pela Uneso (campus de Franca/SP), tendo desenvolvido uma iniciação científica sobre “A saúde enquanto política pública no Brasil: a judicialização do acesso a medicamentos e aos procedimentos de alta complexidade”, como bolsista PIBIC. Ingressei no Mestrado em Direito, na mesma instituição, em 2016. Com financiamento da CAPES, pesquisei a aplicação do conceito de incapacidade biopsicossocial, desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde, para análise da incapacidade laboral dos segurados do INSS na concessão dos benefícios aposentadoria por invalidez (hoje, aposentadoria por incapacidade permanente) e auxílio-doença (atual auxílio por incapacidade temporária). Entre os anos de 2017 e 2019, participei com apresentação de trabalhos no CAED-Jus, considerado por mim um dos Congressos de maior prestígio e alcance no meio acadêmico jurídico. E agora, em 2021, dou início ao Doutorado em Direito, também na Unesp, sob orientação do Prof. Dr. Daniel Damásio Borges, participando do CAED-Jus como Coordenadora do GT 6.

2) O que mais lhe chamou atenção no CAED-Jus?

O que mais me chama atenção no CAED-Jus são suas ações institucionais, que respondem ao desafio de projetar a pesquisa jurídica para o avanço social do Brasil. Com este objetivo, o Congresso colabora com a formação de pessoal docente e discente da área jurídica, formula e propõe palestras e interações de interesse da pesquisa e oferece visibilidade à produção científica em Direito. Cada um dos Congressos já realizados oportunizou a publicação de centenas de artigos jurídicos acerca das mais diversas temáticas.

3) A temática do seu GT é fundamental para pensar o direito de maneira interdisciplinar. O que você concebe como principal desafio da sua temática?

Este GT é concebido como fonte de debates sobre os conteúdos das políticas e normas adotadas pelo ordenamento do trabalho e da seguridade social. O principal desafio dessa temática é justamente o forte impacto de questões ideológicas e políticas, que suscitam controvérsias e calorosas discussões sobre diversos temas relativos a esses direitos sociais.

4) Bom, outras pessoas vão se espelhar em você para participarem das próximas iniciativas do CAED-Jus. Que outras dicas você daria para que possam produzir textos de qualidade e inovadores?

É preciso entender que o Direito não é um fim em si próprio, mas sim um instrumento elaborado pelo homem para a vida em sociedade, que deve ter um único objetivo: lograr o melhor desenvolvimento de todos e cada um dos seres humanos. Por isso, veja este Congresso como oportunidade de intercâmbio acadêmico, de difusão das doutrinas em voga, de correntes jurisprudenciais e de conhecimento das experiências forenses dos diferentes grupos de pesquisadores.

Redija seu trabalho com a intenção de projetar perspectivas para um Brasil mais justo, que possa superar as muitas vulnerabilidades históricas que ainda assolam o seu povo e a sua democracia. Sua investigação deve oportunizar ao mundo da pesquisa jurídica maior compreensão sobre a temática escolhida.

 

Gostou da entrevista? Não esqueça de comentar e compartilhar.

 

A propósito, você já submeteu seu trabalho ao próximo evento do CAED-Jus? Você pode acessar o site do CAED-Jus em www.caedjus.com/eventos e se inscrever no próximo evento programado com um artigo de sua autoria. Aproveite esta oportunidade!

 

Posted in

CAED-Jus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.