caedjus.com

Entrevista com Alvaro Gouveia – Coordenador de GT do ICLD 2020

O entrevistado desta vez é Alvaro Gouveia.

Alvaro Gouveia é graduado em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE (2001) e com mestrado em Direito pela mesma Universidade (2004). Tem atuado nas áreas de Direito Internacional (Público e Privado) e Direito Ambiental. Atualmente é aluno regularmente matriculado no Doutorado da Universidade de Buenos Aires, na área de concentração do Direito Laboral e é doutorando pela UFPE na área de concentração “Transformações do Direito Privado”, Linha de Pesquisa 2.3 (“Relações Contratuais Internacionais”). É pesquisador participante do Grupo de Pesquisa “Integração regional, globalização e direito internacional”, nas linhas de pesquisas “Direito do Comércio Internacional: instrumentos de negociação e principais atores” e “Direito da integração regional e processos de integração da América Latina” da Universidade Federal de Pernambuco. Ele é Coordenador do GT Direito Internacional e Comparado do ICLD 2020, evento organizado pelo CAED-Jus, Ambra University e Universidade Veiga de Almeida.

 

Confira a entrevista:

1) Você foi selecionado(a) para coordenar um dos Grupos de Trabalho do ICLD 2020. Nos conte um pouco como foi a sua trajetória acadêmica até esta seleção.

Graduado em Direito no ano de 2000 na UFPE, durante breve período criei com outros colegas uma banca de advogados, da qual me retirei para realizar meu mestrado em Direito Público na mesma UFPE (na temática de Direito Internacional Ambiental, sobre o Patrimônio Mundial da Humanidade) e após o término desse curso, iniciei minha trajetória profissional docente, ministrando cursos de Direito Internacional Público e Privado, Direito Ambiental e Direito Comparado em algumas instituições de ensino superior na cidade de Recife/PE. Atualmente, encontro-me em fase de elaboração de minha tese de doutorado em Direito Internacional Privado, na mesma UFPE.

 

2) O que mais lhe chamou atenção no ICLD 2020?

Os grupos de trabalho possuem abrangência e temas interessantes, possibilitando a participação de trabalhos e autores com diversos temas e origens. Ademais, a experiência de liderar um grupo de trabalho em minha área de atuação acadêmico-profissional em nível internacional, bem como a experiência de um networking amplo são oportunidades muito interessantes. Além de tudo isso, a possibilidade de avaliar trabalhos diversos e de publicar artigos em livro de abrangência internacional faz do ICLD 2020 uma experiência extraordinária.

 

3) A temática do seu GT é fundamental para pensar o direito de maneira interdisciplinar. O que você concebe como principal desafio da sua temática?

Em Direito Internacional a interdisciplinaridade é ínsita, uma vez que as temáticas são globais e complexas. Por outro lado, quando da abordagem do Direito Comparado, as discrepâncias das visões de mundo refletidas nos ordenamentos jurídicos internos fazem com que os temas se tornem ainda mais multifacetados. Consequentemente, o principal desafio do GT 04 (Direito Internacional e Comparado) é buscar formas de propor o desenvolvimento considerando as distintas visões de mundo expostas no Direito Interno – sem considerar que uma é intrinsecamente mais relevante do que outra (artigos de Direito Comparado) e, ao mesmo tempo, considerar a tutela internacional do desenvolvimento já posta e propor formas de inovação nessa tutela visando um desenvolvimento amplo – hemisférios norte e sul (artigos de Direito Internacional).

 

4) Bom, outras pessoas vão se espelhar em você para participarem das próximas iniciativas do ICLD. Que dica final você daria para que possam produzir textos de qualidade e inovadores?

Em primeiro lugar, deve-se eleger um tema relevante para o tema do Congresso. Não é uma regra absoluta quanto à qualidade, mas os textos ligados à atividade profissional do autor são bastante interessantes e trazem detalhes que geralmente não são abordados em geral. Ademais, é necessário ter o devido cuidado com as fontes utilizadas para a elaboração dos textos, uma vez que atualmente não faltam fontes, todavia, nem todas têm a mesma qualidade. Por outro lado, no que diz respeito à inovação, a transversalidade com diferentes ramos do Direito e, principalmente, com diferentes ramos do saber humano são indicativos sérios do grau de inovação desejado para um Congresso do ICLD.

 

Gostou da entrevista? Não esqueça de comentar e compartilhar.

 

A propósito, você já submeteu seu trabalho ICLD 2020? Você pode acessar o site do CAED-Jus em www.caedjus.com/eventos e se inscrever no próximo evento programado com um artigo de sua autoria. Aproveite esta oportunidade!

 

Posted in

CAED-Jus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.